segunda-feira, março 09, 2009

BUSCA IMPLACÁVEL

www.adorocinema.com.brEra uma vez um ator chamado LIAM NEESON que no passado ganhou a estatueta mais cobiçada do cinema mundial e tentava arrecadar grana extra numa película descerebrada.
Como num conto de fadas, chega roteiro perfeito com adrenalina, suposta diversão escapista e seqüências dramáticas, deixando obra com jeitão sério.

Era uma vez MAGGIE GRACE (do seriado LOST), jovem estagiária a atriz, colocada num papel medíocre, chato e sem naturalidade, fazendo-nos torcer para seqüestradores terminarem logo o serviço e não termos que ouvir gritos histéricos.

Era uma vez família desunida, onde pai e filha tentam aproximar-se novamente. Ele – policial aposentado – sobrevive de “bicos” como segurança. A menina viaja (a contragosto do patriarca) e lá acaba sendo seqüestrada, servindo de produto numa “feira de prostituição” bancada por magnatas. Nosso herói, obviamente sai à caça dos desertores, lotado de frases feitas debaixo do sobretudo e cara de poucos amigos.

Era uma vez BUSCA IMPLACÁVEL, produzido pelo “cara de pau” LUC BESSON – interessado mais nas bilheterias do que na obra em si – pegando carona com nova face do cinema de ação – Jack Bauer, James Bond ou Jason Bourne, referências nítidas. Tiroteios são único atrativo razoável, num longa contendo roteiro paupérrimo, induzindo PIERRE MOREL (B-13 – 13º DISTRITO) a entrar nos piores clichês da sétima arte.
Era uma vez nossa paciência, que se esvai após o segundo berro irritante da coadjuvante. A carreira de NEESON merecia algo melhor.

NOTA: 5,0
ORÇAMENTO: 30 Milhões de Euros

4 comentários:

Rogerio disse...

o filme parece ser bom;;;;gosto d efilme de tiros...eee...

http://verdadesentrementiras.blogspot.com/

DANIEL BP disse...

hahahahahahahahahhahahahahahahaha!
Crítica engraçada, nunca gostei dos filmes de Luc Beeson e, vendo que este foi produzido por ele, já dá pra ver que é ruim.

Meu blog de críticas:
cinepostmaxi.blogspot.com

Expectador disse...

Hehe, vou falar uma coisa: eu gostei desse filme. Sim, cheio de clichês, mas até que achei divertido. Claro, não é nenhuma obra prima.

Rodrigo Andolfato disse...

Apesar de tudo o filme tem sido um fenômeno nos EUA. Mas agora entendo por quê. O público americano adora Jack Bauer!

Related Posts with Thumbnails