sábado, março 10, 2012

A PELE QUE HABITO



Nunca fui um assíduo espectador de PEDRO ALMODÓVAR, não porque seus filmes me desagradassem, mas porque a quantidade de lançamentos para se assistir é imensa e temos que fazer certas escolhas, deixando passar certas pérolas irretocáveis como VOLVER, por exemplo.

No caso de A PELE QUE HABITO, fiz todo o possível para acompanhar essa nova empreitada do diretor, num gênero onde ele nunca havia trabalhado.
De fato, é o Frankstein do diretor, com todas as discussões filosóficas sobre vida, ressurgimento e todo o caos que se passa na cabeça da vítima e do cientista – no caso cirurgião.

ALMODÓVAR continua brincando com as cores, sempre vivas e marcantes em toda sua carreira, e além disso, tira uma interpretação maravilhosa de ANTONIO BANDERAS (A MÁSCARA DO ZORRO) e da linda ELENA ANAYA (LÚCIA E O SEXO), que tem uma presença hipnótica frente às câmeras.

O diretor e roteirista, brinca com o espectador, fazendo-nos ir e vir no tempo, trabalhando milimétricamente cada detalhe, para chegar ao inesperado e atordoante desfecho com uma veracidade ímpar, como se estivéssemos cegos a todo o tempo e alguém abrisse nossos olhos para a cruel realidade.

Robert é um cirurgião plástico que vive com sua filha Norma, que tem problemas psicológicos desde que viu a mãe se suicidar. Ao tentar se readaptar à sociedade, pai e filha vão a um casamento e lá Norma conhece Vicente, que a leva para longe e a estupra.
A garota passa a acreditar que seu pai a violentou e com essa sede de vingança Robert traçará um plano para Vicente.

Falar alguma coisa a mais, seria estragar toda a sutileza de diálogos e de ações. Simplesmente um dos melhores filmes lançados nos cinemas em 2011 e sorte minha não ter deixado passar batido desta vez. Mas o fato é que, no cinema ou em casa, vale a pena ver, rever e discutir A PELE QUE HABITO.

Título Original: La piel que habito
Ano Lançamento: 2011 (Espanha)
Dir: Pedro Almodóvar
Elenco: Antonio Banderas, Elena Anaya, Blanca Suárez, Marisa Paredes, Jan Cornet, Fernando Cayo, Eduard Fernández, Isabel Blanco


ORÇAMENTO: 13 Milhões de Euros

2 comentários:

ederDBZ disse...

Enfim uma escolha certa de Antonio Banderas!

Película Criativa disse...

La Piel Que Habito é um dos meus favoritos de 2011, um trabalho cinematográfico simplesmente belíssimo.

Só Almodóvar para encantar todo mundo com uma história tão absurda.

Confira a minha crítica do filme aqui: http://peliculacriativa.blogspot.com/2012/03/critica-la-piel-que-habito-pele-que_12.html

Related Posts with Thumbnails
 

Postagens + Populares da Semana